quarta-feira, 13 de julho de 2011

Fez ninho, criou asas e voou.

Ainda lembro com total nitidez do timbre da tua voz.

Seja gritando sarcasticamente o meu nome, e enfatizando o sobrenome nos seus momentos forçados de fúria comigo, seja na voz de bichinha que você adorava fazer pra me tirar quando eu gamava num carioca da gema, ou na tua voz de bebê carente, doido por um mimo. Ah.. aquela sua voz de bebê! Voz essa que nos proporcionou a impagável felicidade de rir horas e horas ouvindo um cara cheio de gírias como você,  transformado em um neném, o que não podia resultar em nada menos do que um apelido, ou melhor, quase que um codinome.

Risos. Começarei por eles, sempre foi a sua preferência.

Se não desloquei a mandíbula contigo, não desloco mais. Era manhã, tarde, noite e madrugada. Vinte e quatro horas por dia, trinta dias no mês, e de um a dois meses em um ano, assim. Rindo de chorar e chorando de ri.
Lembro como se fosse hoje que, com aquele seu jeitinho de me ludibriar, conseguia me envolver propositalmente nas maiores e mais divertidas enrascadas. Sem contar que por isso, noventa e oito por cento da população do Rio de Janeiro junto a você, passou a me chamar na maior naturalidade de neguinha.

As nossas conversas entre olhares que burlavam a lei do silêncio quando nos perdíamos e caíamos na gargalhada. E os nossos passeios, saídas e viagens? Aquele teu sorriso gostoso, que com a velocidade do carro, quando o vento batia brincava com ele. Os lugares que conhecemos e nos encantamos juntos, e que são a sua cara, fez com que eu me apaixonasse mais ainda por eles.
E como esquecer o seu ciúme? Aquela carinha de bebê com raiva que eu me divertia provocando. Seja dançando, paquerando, dando atenção pra outras pessoas ou até mesmo não passando da sua imaginação fértil. Assim, instantaneamente você fazia cara de poucos amigos, que não passava enquanto eu não te agarrasse.
Por falar em abraços, impossível não fechar os olhos e ainda sentir o calor e a intensidade dos mesmos que, independente da freqüência com que nos víamos, não deixava esvair o ar de saudade e um bem, mais que bem-querer. Não podia faltar também a brutalidade dos seus empurrões, puxadas, as vezes que me derrubava, apertava e batia. E eu sempre precisava te lembrar, em alto e bom som, que eu sou uma mulher, porque em minutos você se esquecia desse pequeno detalhe.

Foi você que me ensinou a apreciar qualquer tipo de arte, a entender o porquê de  preservar a natureza, a amar os animais, e me deliciar com Tom, Roberto, Elis e Vinícius de Moraes. Foi através da tua sensibilidade que eu entendi que o sol, o mar, a lua e as estrelas se comunicam o tempo todo com a gente, muitas vezes melhor do que muitas pessoas, basta darmos a devida atenção a eles.
Foi com você que eu dei a melhor gargalhada, aprendi os palavrões mais chulos, tive a conversa mais difícil, o carinho mais necessário, as aventuras mais loucas e o choro mais sofrido.

Foi você que me fez entender que a alegria de viver não pode ser interrompida pelos obstáculos que a vida coloca no nosso caminho, e que devemos revertê-los em forma de motivação para novas conquistas e sonhos, como tantas vezes você fez.
Com você compreendi que não é necessário o muito para ser feliz, e que a felicidade pode ser encontrada nas coisas mais simples possíveis. Seja em conhecer pessoas novas, mantendo as amizades sólidas, dar aquele chamego na família, sair um belo dia na rua e fazer tudo aquilo que te der na cabeça. Rir do tiozinho que tropeçou, da moça elegante que levou um jato de água do moleque que mal tirou a carteira, xingar o motorista que freou em cima, gritar o nome do seu time como se fosse a última palavra a ser pronunciada, ou ouvir um ‘’Deus lhe pague’’ sincero da velhinha que você ajudou a descer a calçada.

Mas também foi por você que eu tive que aprender que quando estamos fracos, é então que somos fortes. Que a vida não vale de nada se a gente não plantar e cultivar pra colher o amor, por menor que seja o nosso tempo nela. No meu vocabulário você é o sinônimo de amizade, têm o cheiro da saudade sentida e a nostalgia melhor vivida. Nos trabalhinhos de Escola sobre Amigos, é o seu nome que com lágrimas nos olhos e sorriso cantinho de boca que os meus filhos vão escutar quando vêem nossas fotos e perguntarem quem é você. E é a você que eu agradeço por me ensinar na prática, da forma mais valiosa possível, o verdadeiro significado da palavra TUDO. Por ter me deixado fazer parte do seu tudo, e por ser o meu tudo.  


Não há tempo para um até logo, tchau muito menos Adeus.
Apenas fique e continue me ajudando a passar adiante a lição de vida que me deu. Quero sentir a tua presença até que eu me junte a ti.

Piu, Pitiu, Partiu.

Mais que ontem, menos que amanhã.




Esse texto foi feito em homenagem a uma amizade incrível, entre duas pessoas muito queridas. E foi através do afeto, carinho e sinceridade contidos nas histórias relatadas, que com um pouco de sensibilidade e um leve toque de nostalgia daquilo que não vivi, e muito admirei, que pude escrever esse texto.
Já dizia O Pequeno Príncipe: ‘’O essencial é invisível aos olhos’’.





5 comentários:

  1. Qualquer pessoa ficaria emocionada com uma homenagem dessas. Seu amigo é alguém que tem muita sorte.
    E parabéns a você tambem, por palavras tão bonitas dedicadas à amizade.
    Ótima semana. Até!

    ResponderExcluir
  2. E essa vida da qual precisamos de mãos e ombros amigos. E quando tendem a criar asas e voar pra longe. Quando são incríveis e grandes por tamanhas qualidades nos deixa presentes que são memórias bem vividas. Aprendemos muita coisa, e levamos pra vida toda. Mesmo indo embora ele volta de qualquer maneira. São essas pessoas incríveis que choramos sorrindo por só terem feito bem em nossas vidas.

    Que texto lindo, emocionei Déborah!
    Você é linda e uma fofa.
    Beijo! Continue, você é muito talentosa em suas palavras, muito mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Muito bonito aqui, flor.
    Seguindo.
    Retribui?

    http://somdospassos.blogspot.com/

    Bei-jos

    ResponderExcluir
  5. Oi encontrei o link do seu blog no orkut,muito criativo e inteligente o seu texto,já estou seguindo o seu blog, quando puder segue o meu também :

    http://www.quatroestacoesdabeleza.blogspot.com/

    ResponderExcluir